Emílio Surita é do casseta!

O líder do melhor programa de humor do Brasil
dá entrevista a um dos peores sites do mundo

Emílio Surita já era um radialista veterano quando seu programa de rádio foi para a TV e arrebatou o Brasil. Com uma verba ridícula numa emissora sem prestígio eles conseguiram chamar a atenção da audiência e hoje concorrem com grandes pesos-pesados (literalmente) da tv brasileira. E não fazem feio. Hoje rico, impotente e realizado, Emílio gasta a maior parte do seu tempo concedendo entrevistas, dando autógrafos e passando a mão na bunda de seus fãs. Como nós também somos fãs do véio, resolvemos realizar a entrevista por e-mail para não correr nenhum risco desnecessário.

Ó.B. – Quem nasce em São Manuel é o quê?
Emílio – Antes de tudo um homem rústico ou se preferir... caipira com "C" maiúsculo. Totalmente diferente desse homem frágil e sensível da cidade grande que chamamos no interior de "coxinha".

Ó.B. – Qual é a sua classificação indicativa?
Emílio – Depende de quem está no poder.

Ó.B. – É verdade que você começou como DJ da Discoteca do Chacrinha?
Emílio – Não, na época do Chacrinha os disc-jockeys trabalhavam em corridas de cavalos.

Ó.B. – Você trabalhou no Caldeirão do Huck.
É verdade que você saiu de lá porque o Luciano Huck vivia metendo o nariz no seu trabalho?
Emílio – O Luciano tentou levar alguma coisa nova pra Globo, assim como um dia o Faustão também tentou... o resultado vocês acompanham semanalmente...

Ó.B. – Dizem que o Pânico provoca tantos processos na Justiça só para você dar emprego aos colegas da Faculdade de Direito. O que você tem a dizer em sua defesa?
Emílio – Nossos advogados de defesa são conhecidos como "Rubinhos" - não ganham nada -... Em minha defesa eu diria "Lucrum unibus est alterius damnum".

Ó.B. – Você acredita em tudo o que aparece na tv?
Emílio – Não acredite nem no cafézinho que se toma na novela...

Ó.B. – Você já teve sindrome do pânico?
Emílio – Só quando respondo um questionário sem noção como esse.

Ó.B. – Quando era adolescente você costumava ler revistinhas suecas de sacanagem? E o que isso influenciou na sua vida adulta?
Emílio – Ah!! as suecas... são espetaculares... o difícil é depois ter que assistir os filmes do Bergman...

Ó.B. – Como está o seu humor?
Emílio – Com os patrões que eu tenho?? Sem comentários...

Ó.B. – É verdade que rico ri a tôa?
Emílio – Um dia pretendo rir muito..

Ó.B. – É verdade que todo radialista é viado?
Emílio – Viado??? O veículo rádio só tem macho, amigo... Os baitolas estão na Literatura...

Ó.B. – É verdade que você participou de uma novela na Globo fazendo o papel de um tal de Himself?
Emílio – Na Globo o único papel que fiz foi o de tonto...

Ó.B. – Você já foi robert?
Emílio – Quem não foi?

Ó.B. – Qual é a importância da bunda na programação de televisão brasileira?
Emílio – Eu a uso para apertar o ON-OFF da tv quando as mãos estão ocupadas com o copo e a cerveja

Ó.B. – É verdade que você é tão a favor da tv paga que quase pagou para ter a sua própria emissora?
Emílio – Esse "brinquedo" é muito caro...

Ó.B. – O que é que te dá mais prazer: tirar sarro de celebridades ou ofender ouvintes?
Emílio – Nem um, nem outro... o maior prazer é trabalhar com tanta gente boa.

Ó.B. – Você trabalha 12 horas por dias, sete dias por semana há muitos anos. Você não acredita no ócio criativo?
Emílio – A única besta que acredita no ócio criativo é um tal de Domenico de Masi... Ele acredita que coçar o saco é sinônimo de trabalho...

Ó.B. – Quantos dedos você tem no pé?
Emílio – Tenho cinco, mas meu filho nasceu com 6 numa das mãos...

Ó.B. – Você compraria uma piada usada do Jô Soares?
Emílio – O Jô - para nós do Pânico - não venderia nem um Lada usado. Ele odeia o programa...

Ó.B. – O teu passado te condena?
Emílio – Claro que condena, mas quem é que não aceitou um cachê pra pagar o condomínio atrasado?

Ó.B. – É bom ser famoso?
Emílio – Agradeço a Deus todos os dias... São pequenas coisas como não ter fila no banco ou a gentileza dos que gostam do nosso trabalho.

Ó.B. – É verdade que você é irmão da Marta Suplicy?
Emílio – Minha irmã é da política... mas não chega a ser uma Marta... Graças a Deus... Já imaginou um argentino na família???

Ó.B. – Quem você levaria para uma ilha de edição deserta?
Emílio – Toda equipe do Pânico na TV... Eles são geniais... os melhores da TV brasileira.

Ó.B. – Aquelas gostosas que aparecem no Pânico são gostosas mesmo ou é tudo truque de televisão?
Emílio – Não sei, mas todas tem um dedo de Alan, oooo produtor.

Ó.B. – Na sua opinião, qual é a fronteira entre a verdade e a mentira?
Emílio – A realidade tem o imprevisível, a ficção, uma fórmula. Como a TV trabalha com os dois, deixamos para o telespectador decidir o que é real e o que é ficção.

Ó.B. – Quem fez o teste do sofá com o Homem Beringela?
Emílio – Isso é assunto interno e nós do Pânico não somos preconceituosos.

Ó.B. – Falando em teste do sofá, ficamos sabendo que o Pânico tem uma verba de produção tão pequena que não tem nem sofá. Então, onde são feitos estes testes?
Emílio – Agora até que nossa verba melhorou. Já deu pra comprar um 2 e 3 lugares na Marabráz, preço melhor ninguém faz...

Ó.B. – Você acredita no Inri Cristo?
Emílio – O Inri é um desajustado como o Dr. Carneiro...

Ó.B. – E no Henry Sobel?
Emílio – Eu gosto do Sobel... Ele é um cara do bem... Não é por uma gravata que a gente vai esquecer o que ele fez pelos direitos humanos na època da ditadura militar, né??

Ó.B. – Você quer deixar seu telefone para shows?
Emílio – Não, obrigado...

ENTREVISTA CONCEDIDA PELA INTERNÊ (Como gosta de falar o Emílio) EM SETEMBRO DE 2007



Visite o site
do Pânico



Torturas anteriores



OPERABUFEX:
mande esta
tortura para alguém
que você detesta!



© 2004-2010 Ópera Bufa Editora - Todos os direitos reservados